Adoção de Crianças

Conheça todos os passos para adotar uma criança no Brasil

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: 1 a 2 Anos, 2 a 3 Anos, 3 a 4 Anos, 5 a 6 Anos, Até 1 Ano, Bebês, Crianças, Gravidez, Problemas, Quero Engravidar

Seu desejo de ser mãe extrapola as barreiras e/ou necessidades biológicas? Sente vontade de ter aquele amor, carinho, cuidado e preocupações de arrancar os cabelos independente deste fruto ter crescido em seu ventre? Então você provavelmente já pensou em adoção.

Como tudo no Brasil, a adoção também tem suas burocracias. Elas são necessárias para evitar alguns abusos por parte das pessoas desonestas tais como: venda e tráfego de crianças, ou ainda, evitar que pessoas sem condições emocionais e psicológicas simplesmente ganhem um bebê de presente de uma mãe sem condições financeiras ou que simplesmente não quer ficar com a criança.

 adotar criança

Conceitos Básicos sobre Adoção

Adoção é o único procedimento legal pelo qual uma ou duas pessoas tornam-se pais de uma criança cuja concepção aconteceu com outras pessoas. Tornar-se pai e mãe de uma criança, segundo a lei brasileira, é possuir todos os direitos e deveres perante este ser indefeso.

As crianças passíveis de adoção são aquelas cujos pais biológicos foram destituídos da função parental através da justiça. Esta decisão deverá estar na condição de trânsito em julgado, ou seja, os pais biológicos não poderão mais recorrer da decisão judicial.

Muitas destas crianças encontram-se em abrigos, em casas de parentes ou mesmo com voluntários (habilitados pela justiça) com a guarda-provisória a espera da adoção. Hoje em dia, é verificado de antemão se não há ninguém de sua família com o desejo de criar esta criança. Havendo, este terá prioridade. Caso ninguém se habilite, será necessário procurar por famílias que estão dispostas a assumir as funções paterna e materna.

adoção

Como faço para adotar

  • É necessário ser habilitado para adotar uma criança. Para isto, é preciso procurar a Vara da Infância e da Juventude no fórum de sua cidade. Você poderá adotar sozinho ou com seu companheiro (desde que casados ou em união estável), e precisará ter mais de 18 anos de idade. Estes são os primeiros requisitos avaliados para que se dê entrada com a papelada.
  • São necessários vários documentos dos adotantes. Entre eles, a ficha do perfil do adotando. Você poderá definir idade, raça, sexo, com ou sem alguns tipos de doenças etc. Juntando a ficha aos demais documentos pessoais necessários, você passará pela avaliação dos profissionais técnicos do sistema: Assistente Social e Psicólogo.
  • Eles farão entrevistas, visitas, convidar-lhe-ão para palestras no fórum e grupos de pais pretendentes à adoção (as palestras e grupos variam de cidade para cidade). Após estes procedimentos, eles irão determinar seu parecer ao juiz: se são favoráveis ou não à sua petição de adoção.
  • Normalmente, o juiz acata o parecer dos técnicos, visto que eles quem estiveram atuantes no processo de avaliação. Pronto! Agora você passa a pertencer ao CNA (Cadastro Nacional de Adoção) e, assim que aparecer uma criança com as características que delimitou na ficha de perfil, será iniciado o período de convivência juntamente a guarda provisória.

pais adotivos

  • Adoção não mais é encarada como um ato de generosidade dos pais que adotam, mas sim, como um suprimento da necessidade destes pais de serem pais! A adoção visa conceder uma família competente, organizada, carinhosa e respeitosa a uma criança que necessita da mesma, e não filhos para que um casal forme sua família.
  • É possível encontrar vários depoimentos de mães que adotam. São tão emocionantes quanto os da mãe que dá a luz aos filhos. O amor brota do seu desejo, e rapidamente, toma todo seu coração e instinto materno. É contagiante o amor que estas crianças podem nos proporcionar sentir.

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios