Com Quem Deixar o Bebê para Voltar ao Trabalho?

Quais as vantagens e desvantagens na hora de escolher quem tomará conta de seu bebê para você retomar seu trabalho.

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Até 1 Ano, Bebês

Com certeza, entre as mamães que trabalham, este é o primeiro fantasma que assombra os pensamentos, praticamente assim que o bebê nasce. Ainda no hospital, muitas já começam a contar os dias e a marcar no calendário a tão temida data de retorno às atividades laborais.

Algumas mulheres optam por simplesmente não trabalhar mais. Mas, como esta não pode ser a escolha da maioria, o ideal é esfriar a cabeça e pensar com calma onde seu bebê ficará mais seguro, protegido e amado mesmo com você estando longe por algumas horas do dia.

Pontos positivos e negativos em deixar o bebê com avós

bebê com avós

Vantagens

Quer mais certeza de que seu bebê será extremamente bem cuidado do que ficando com sua mãe ou mesmo avó? Mães cujos bebês ficam com familiares próximos demonstram mais tranquilidade, assim, ficam mais concentradas e produtivas no trabalho. Outra questão é que, sendo elas da mesma família, assegurará que muitos dos seus valores e da sua cultura serão passadas para o bebê.

Desvantagens

“Extremamente bem cuidado” pode ter um lado negativo também. Crianças menores e até bebês (mesmo que em menor grau) devem começar a experimentar frustrações ao longo da vida, pois, fará parte da vida e é de extrema importância para o desenvolvimento de sua personalidade. As avós tendem a evitar ao máximo que os pequenos passem por estes sentimentos. Não deixar fazer ou mexer em algo em determinado momento são exemplos que deixam os filhos frustrados. É necessário que esta avó esteja aberta ao diálogo e entenda que será necessário que ela fique no papel de educadora e também diga não aos netos.

Pontos negativos e positivos em deixar o bebê com a babá

babá

Positivos

Se muito bem selecionada e recomendada, poderá ser uma pessoa de confiança. Ela cuidará de seu filho no aconchego do próprio lar, fazendo que seja um estresse a menos para o bebê, visto que eles estranham ambientes diferentes também. Também será uma pessoa única e exclusivamente para os assuntos de seu filho, o que, por via de regra, deveria ser garantia de que suas necessidades iriam ser atendidas de forma eficaz e eficiente.

Negativos

Por mais de confiança e boa pessoa que seja, por mais carinho e apego ao seu bebê que demonstre, nunca, será a mesma coisa que cuidado por você ou parentes próximos (salvo em raras exceções). Se já é difícil encontrar um equilíbrio entre a hora de educar e acarinhar para as mães, imagine para a babá? Na dificuldade em encontrar este equilíbrio, elas podem pender mais para um lado ou para o outro: Educar de forma eficaz, dizer não sem receio, e ao mesmo tempo não preencher a necessidade de carinho e diversão da criança ou vice-e-versa: muito carinho, cuidado e dificuldade em dizer não e separar os momentos da rotina que tanto para o bebê quanto para criança são indispensáveis à formação de seu caráter.

Pontos positivos e negativos de berçários e creches

bebê na escolinha

Positivos:

Educandários infantis quando bem escolhidos, fiscalizados e acompanhados pelos próprios pais são ótimas fontes de aprendizado para o bebê e crianças. Eles experimentarão coisas que em nenhum dos dois ambientes citados acima permitiriam. Contato com outros adultos e crianças proporcionará um grande estímulo para o desenvolvimento emocional, motor, cognitivo e etc. As habilidades interpessoais serão as que mais se destacarão neste momento.

Negativos:

Trata-se praticamente de uma sociedade o ambiente de berçário e creche. Portanto, haverá, por vezes, algumas normas (mesmo que implícitas) que talvez não coincidam com os valores que desejaria passar ou que seu filho aprendesse. Também por se tratar de vários bebês e crianças, a atenção não será direcionada única e exclusivamente para o seu filho. Ela será dividida e, muitas vezes, algumas necessidades básicas podem ser adiadas ou até não satisfeitas por impossibilidade de tempo e de número de pessoas suficientes para isso.

Não tem fórmula de cuidado perfeita. Nem a das próprias mamães, pois somos seres humanos, portanto, erramos. É natural e faz parte da aprendizagem dos filhos irem percebendo isso ao longo do tempo também. Resta-nos escolher o que mais se enquadra no nosso perfil e minimizar na nossa mente (um tanto quanto terrorista) os efeitos destes pontos negativos, pois eles existirão em todos os âmbitos da vida.

E você, querida leitora? Com quem seu bebê fica? Notou alguma mudança de comportamento no mesmo depois de voltado ao trabalho?

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios