Como Ensinar a Criança a Lidar com a Raiva

Dicas para ensinar seu filho a canalizar esse sentimento

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: 1 a 2 Anos, 2 a 3 Anos, 3 a 4 Anos, 5 a 6 Anos, Até 1 Ano, Bebês, Crianças, Recém Nascidos

Bebês já são capazes de demonstrar insatisfação, alegria, tranquilidade e medo. Através do choro é possível saber que há algo de errado com eles. É sua única arma para avisar que alguma coisa os está incomodando. A partir disso, os pais ficam querendo decifrar o motivo deste barulho tão singular dos bebês.

Não é correto o pensamento de que, logo nos primeiros meses, eles já sabem fazer birra ou pirraça. Na verdade, todo choro tem um motivo, por mais complicado que seja descobri-lo. Aí começa a luta para verificar todos os quesitos, tais como, fralda limpa, fome, sono, banho etc.

A verdade é que, desde cedo podem sentir necessidades que nem sequer imaginamos como de carinho, de colo e afeto. Isso não significa que estão mimados, trata-se apenas de necessidades básicas que, antigamente, algumas pessoas ignoravam sua existência.

criança com raiva

Dicas para bebês lidarem com a raiva

  • Tudo começa nos primeiros dias de vida, exatamente, o bebê nunca é pequeno demais para que você seja firme [jamais violento] com ele
  • Satisfazer as necessidades de seu bebê da melhor maneira possível é o primeiro passo para educar uma criança que lida bem com seus próprios sentimentos.
  • Ser coerente nas atitudes e comportamentos que expressa diante dos filhos.
  • Conversar. Os bebês estão em formação assim como sua capacidade de entendimento e, quanto mais você conversar com o seu bebê melhor será.
  • Não mentir. Mesmo que sejam assuntos aparentemente banais ou simplórios, diga sempre a verdade. Por exemplo. Quando levar seu bebê para vacinar explique, diga que vai doer só um pouquinho, que será apenas uma picadinha e que vai passar logo ao invés de dizer que não vai doer nada.
  • Seja firme em seus posicionamentos. Por volta de um ano de idade, além de expressar o que quer, o bebê luta e reluta. Às vezes, não quer por nada ficar quieto para trocar a fralda. É necessário manter a voz firme e as mãos também. Segurá-lo, sem machucar, explicar que é necessário, trocar a fralda ficar seco e limpinho. Mesmo que pareça não adiantar e ele não pare de se remexer, não desista. Você está ajudando a formar a personalidade do seu filho para o futuro e a longo prazo e não apenas querendo um determinado comportamento para um determinado momento.

Dicas para a Criança que já se Comunica com as Palavras

criança raivosa

  • Crianças que já falam, possuem um entendimento ainda maior de tudo a seu redor. Apresenta maior capacidade cognitiva para aprender e realizar as funções de maneira coerente e lógica. Mas, como não só de lógica é formado os pensamentos do ser humano, as dicas acima são imprescindíveis para a formação de uma criança segura e que compreende as regras até certo ponto.
  • Seu trabalho ainda não terminou. Seus filhos, na verdade, agem testando os limites dos pais o tempo todo. É algo natural, nada intencional. Faz parte do crescimento e desenvolvimento do próprio eu, de suas próprias características que serão base para sua futura independência.
  • Dessa forma, querem porque querem o tempo todo e se não podem ter, muitas vezes não demonstram querer saber nem o porquê, simplesmente fazem a chamada pirraça. Birra ou pirraça é quando a criança já possui capacidade para entender que algo não é para ser feito e mesmo assim toma a atitude consciente de preferir ignorar e tentar a todo custo o que deseja mesmo os pais não permitindo. Daí vem a demonstração de raiva.
  • Muitos pais são vencidos pelo cansaço e abrem mão de suas próprias decisões. Esta é a principal atitude que faz com que as crianças apresentem dificuldade no futuro em lidar com a raiva. Pois, fará com que sempre tentem mais e mais, métodos não tão eficientes, como a birra, para conseguirem o que quer.
  • Na verdade, estes pais estão ensinando: “pode contestar tudo o que eu digo que eu voltarei a atrás se você brigar e sentir raiva de mim”. E não é isso que queremos ensina-los. Também não ajuda a fazer com que aprendam sobre paciência, sobre a espera para se alcançar determinado objetivo, que tudo tem sua hora e seu tempo, enfim, não impondo limites, terão filhos cada vez mais raivosos, tentando sempre transportar a barreira do primeiro, segundo, terceiro “nãos” e assim sucessivamente.
Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios