Como Funciona a Produção de Leite

A amamentação é um processo perfeito, e a preparação para a produção de leite já se inicia nos primeiros sinais de gravidez.

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Alimentação, Até 1 Ano, Bebês, Saúde

A amamentação é um processo visto com certa mística e como se fosse mesmo um milagre da natureza. Todo o processo de preparação do corpo da mulher até o estímulo da criança para o seu próprio aleitamento, tudo parece perfeito demais para ser verdade. E quando conseguimos analisar com calma e observar como realmente tudo aquilo acontece, ao invés de obtermos uma visão mas científica e fria de toda a situação, vemos o nosso aspecto emocional se encarregar de transformar ainda mais o ato de alimentar o bebê em um processo divino de manutenção da vida.

leite materno

Preparação

Já nos primeiros sinais da gravidez, os homônios estrógeno e progesterona se encarregam de iniciar na mulher uma transformação e tanto. Os seios ficam relativamente maiores, mais sensíveis e têm os vasos sanguíneos dilatados, além do mamilo adquirir um aspecto mais escuro, o que, segundo os médicos, serve para orientar melhor os recém-nascidos para o local exato onde ocorrerá a sua alimentação.

Bolinhas surgem ao redor dos seios, e secretam uma substância oleosa que serve para a lubrificação e para a proteção dos seios contra infecções, protegendo a saúde tanto da mamãe quanto do bebê. No momento que o bebê nasce, as glândulas, células e componentes dos seios que participam da amamentação já dobraram de tamanho, para dar conta de todo o trabalho intenso que será realizado nos próximos meses.

O leite

Logo após o parto e o nascimento da nova vida, diferentes hormônios passam a atuar no corpo feminino, como a prolactina e a ocitonina. Eles serão essenciais no estímulo à produção de leite que chega até o bebê através dos mamilos, em um processo rápido mas bem complicado.

Pequenas células dos seios no formato de cachos de uva, chamadas de alvéolos mamário, são estimuladas pelo hormôniio prolactina para que a produção de leite se inicie, e através de canais chamados dutos lactíferos esse leite produzido nos alvéolos consegue chegar ao interior da mama. O leite é então estocado em pequenos reservatórios chamados de lóbulos, que ficam logo abaixo das auréolas de cada seio. Um seio possui em média cerca de 15 a 20 lóbulos, mais do que suficientes para alimentar o bebê por todo o período necessário.

bebê mamando

Amamentando

O leite pode então sair para a boca do bebê através dos poros mamilares, pequenos orifícios por onde o leite passa assim que ocorre a sucção do bebê. Após o estímulo realizado pela sucção do bebê, terminações nervosas estimulam mensagens ao cérebro da mulher, para a produção do hormônio ocitocina, que é responsável por contrações nos músculos dos seios, para uma pressão maior nos alvéolos e lóbulos, e um fluxo de leite muito maior para a boca do bebê.

O organismo da mulher produz cerca de 800 ml de leite materno por dia, para poder suprir todas as necessidades do bebê. Essa produção leva a um desgaste do corpo feminino, que acaba por gastar até 500 calorias a mais diariamente para que esse processo seja completado. O estado emocional da mamãe pode influenciar na produção de leite, já que a mesma glândula responsável pela produção dos hormônios ligados à amamentação são também os que regulam as emoções.

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios