Cuidados com a Pele da Criança no Sol

Saiba como proteger o seu filho contra os raios nocivos do sol

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: 1 a 2 Anos, 2 a 3 Anos, Até 1 Ano, Bebês, Crianças, Recém Nascidos

O sol brilha para todos. Não importa cor, religião e muito menos a idade. Contudo, a pela das crianças e dos bebês são mais finas que as dos adultos, e, portanto, mais propensas aos malefícios dos raios UV. Além da pele das crianças serem uma pele mais fina, entende-se que o seu desenvolvimento também é imaturo. A pigmentação da pele não está completamente desenvolvida o que a deixa ainda mais desprotegida.

Estudos indicam que cerca de 80% de todo o sol que um adulto toma na vida ocorre até os 18 anos de idade. Crianças, em período de férias, costumam ficar em média 15 horas no sol ao longo de uma semana o que é muito tempo se expondo aos raios nocivos do sol. Todos estes dados levam a crer que, para os próximos anos, de 1 a cada 55 pessoas desenvolverão melanoma em alguma fase da vida. Este número é verdadeiramente assustador visto que o câncer de pele no Brasil corresponde a 25% de todos os tumores malignos registrados.

criança com chapéu

Super dicas para proteger as crianças de até 3 anos do sol

  • Evite expor a criança diretamente ao sol em seu período de maior perigo. O ideal será mantê-las apenas na sombra de 10 horas da manhã até às 16 horas da tarde.
  • Usar boné, chapéu, camisetas, óculos cujas lentes tenham uma real proteção contra os raios. Tudo isso irá evitar uma exposição solar muita intensa da criança que precisa sair ao sol.
  • Usar o protetor solar. Passar o protetor solar uma vez ao sair e não se lembrar mais não protege ninguém do sol. O ideal é passar 2 camadas em todas as áreas expostas, de 2 em 2 horas, ou após tomar um banho seja de piscina, mar ou ducha. Não se esquecer da nuca, orelhas e até mesmo a cabecinha dos bebês com pouquinho cabelo.
  • Escolher o protetor adequado. Existem protetores solares específicos para a pele sensível das crianças. Alguns deles são resistentes à água e areia. O fator de proteção deverá ser de no mínimo 50 para peles mais claras e 30 para crianças morenas e negras.
  • Beber água. A água hidrata o corpo e consequentemente a pele também, por isso é de extrema importância.

Outros cuidados indispensáveis contra os raios nocivos do sol

mãe e criança brincando na praia

  • Dias nublados requerem proteção. Não se engane com aqueles dias nublados, carregados e “sem sol”. O sol está lá, acima das nuvens e seus raios atravessam facilmente as mesmas, por isso, não se descuide nestes dias.
  • A luz do sol pode se refletir. A luz do sol pode se refletir na areia, na água, na neve, no concreto atingindo assim as crianças até mesmo na sombra dependendo da posição.
  • Alguns remédios retiram a proteção natural da pele. Quando o pediatra do seu filho receitar alguma pomada que deverá ser usada sobre a pele questione-o se é interessante ficar longe do sol enquanto usar o medicamento ou se não há esta necessidade.
  • Cuidado com os banhos das crianças. Em dias quentes é ideal que a criança tome mais de um banho, porém, não é ideal usar o sabonete todas as vezes que for dar banho, pois ele também retira a proteção da pele. Também não é aconselhável usar bucha em todas as partes do corpo devido a ação esfoliante. Use-as apenas onde for necessário como os pés, por exemplo.

Antes dos 6 meses de vida não é aconselhável o uso de protetor solar. Após os 6 meses recomenda-se que o uso do protetor seja rotina na vida da criança. Ensiná-la desde cedo a se proteger é um belo patrimônio a ser deixado. Assim, ela terá mais saúde, pele mais bonita, menos sinais de envelhecimento em curto prazo. Enfim, é um investimento para a vida toda.

Para mais dicas sobre a exposição solar dos bebês, assista ao vídeo abaixo:

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios