Dieta na Gravidez

A restrição de alguns alimentos pode trazer sérios riscos ao bebê

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Alimentação, Saúde

Na gravidez, a mulher está proibida de fazer qualquer tipo de dieta porque pode comprometer sua saúde e o desenvolvimento adequado do bebê. Somente o médico pode prescrever alguma dieta específica, que não irá privar a gestante de nenhum nutriente importante.

alimentos recomendados

Muitas vezes, apesar de a mulher ter desejado engravidar, fica preocupada com os quilinhos extras que vai ganhar nesses nove meses. Mas a futura mamãe deve ter em mente que é natural o ganho de peso, em geral de 9 a 13 kg. Há o peso do bebê, da placenta, do aumento do útero e até das mamas, que ficam maiores. Além disso, durante a gestação, muitas mulheres apresentam ainda muita retenção de líquido.

Mas o ganho de peso deve ser gradual, acompanhando o crescimento do bebê na barriga.

Se a mamãe já estiver obesa quando ficar grávida, deve seguir uma alimentação equilibrada e bastante variada, investindo nas frutas, verduras, legumes, laticínios, cereais e carnes, evitando alimentos muito gordurosos e o excesso de sódio e açúcar.

alimentos frescos

Uma dieta restritiva, além de comprometer o crescimento do bebê pode interferir até na produção do leite materno. Portanto pense sempre na saúde do seu bebê antes de tentar qualquer regime.

Controle do peso

Em muitas situações, só de seguir um cardápio leve e completo, rico em vitaminas e sais minerais, a mulher chega a não engordar até uma determinada fase da gestação.  Em muitos casos, a mulher até emagrece por conta dos novos hábitos alimentares. Mas tudo deve ser supervisionado por um médico, que fará um acompanhamento mensal da saúde geral da gestante e do bebezinho.

Outra dica é fazer uma atividade física leve – desde que liberada pelo médico -, como hidroginástica, caminhadas ou ioga.

Porém, ninguém precisa se privar de todos os alimentos mais calóricos! A palavra de ordem é moderação. De vez em quando, é possível se entregar a um docinho ou chocolate, sem exageros. Sem contar os desejos mais malucos que surgem nesse período tão especial.

Doenças

É muito importante que a mulher que já está com sobrepeso cuide da alimentação na gravidez para que não corra o risco de desenvolver algumas doenças, como diabetes gestacional, pré-eclâmpsia (quando há aumento da pressão arterial), dentre outras, que podem prejudicar a saúde do bebê e também da mamãe.

O excesso de peso ao final da gravidez também dificulta o parto natural, levando a mulher a fazer cesariana.

Uma dieta sem a orientação e acompanhamento de um médico pode privar a mamãe de nutrientes como o ferro e ácido fólico, esse último muito importante porque contribui para o desenvolvimento do tubo neural do bebê.

E depois do parto?

Muitas mamães ficam preocupadas em como vão emagrecer depois do nascimento do bebê. Mas não há motivo para isso: logo após o parto, já há uma perda de peso. Depois, com a amamentação, há um gasto calórico importante, o que também ajuda a perder alguns quilinhos. Acompanhando isso, é só seguir uma alimentação balanceada que, em pouco tempo, a mulher volta a ter o peso anterior à gravidez.

A Melhor Dieta para a Gravidez e Pós Gestação

De todos os tipos de alimentação e dietas que tenho acompanhado, a que mais tem recebido bons feedbacks é a do programa Mamãe Saudável. São muitos emails de leitoras dizendo que estão amando o método, que consiste em um plano alimentar detalhado para durante a gestação e para época pós parto, além de exercícios fáceis de serem realizados por gestantes, e um treinamento leve mas eficiente para pós gravidez, ajudando a voltar a forma ideal rapidamente. Convido você a ler mais sobre esse assunto clicando na imagem abaixo.

mamãe saudável

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios