Parto Humanizado: Tudo o Que Você Precisa Saber

No parto humanizado, cria-se um vínculo muito mais forte entre a mãe e o bebê.

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Gravidez, Parto

Luz forte, barulho, falta de comunicação, correria, desespero e medicamentos. É a isso que se resume um parto comum em diversos hospitais do nosso país. Com isso, tanto mãe quanto bebê ficam estressados, amedrontados e até traumatizados com o momento mais lindo da vida, que é o nascimento. Por isso, dia após dia, cada vez mais mães têm dado preferência ao parto humanizado, no qual o contato da mãe com o bebê é maior, o carinho envolvido é crescente e as necessidades da mãe são ouvidas. Se você está para dar a luz, aqui você lerá tudo o que precisa saber sobre o parto humanizado, a melhor opção para você e o seu tão sonhado bebê:

parto-humanizado-tudo-o-que-voce-precisa-saber

O Que é um Parto Humanizado?

Embora ainda haja uma polêmica envolvendo o conceito de parto humanizado, o mais aceito pelos médicos é o de que é aquele em que as decisões da mulher são muito importantes e, por isso, seguidas no momento da concepção. Dessa forma, deve-se deixar que a natureza realize o seu trabalho. Para tanto, é feito o mínimo de intervenções médicas possível, a não ser que sejam autorizadas pela mãe ou que a sua saúde ou a do bebê dependam delas.

Como Acontece o Parto Humanizado?

O parto humanizado acontecerá no local que a mãe escolher: na água, na cama, em casa ou mesmo no hospital. Entretanto, seu pré-natal deve ter tido um acompanhamento bem próximo do obstetra, que dará a sua opinião final se será seguro ou não fazê-lo no local escolhido. Ou seja, tanto a mulher quanto seu bebê devem estar saudáveis e preparados para o nascimento.  Nesse tipo de parto, o médico passa de protagonista a coadjuvante que deverá aparecer somente se houver alguma complicação. Em seu lugar, entra a mãe, que sentirá o momento em que seu filho irá nascer. Dessa forma, a mãe se sente mais livre e melhor, podendo caminhar enquanto aguarda pelo parto e escolher quem poderá fica ao seu lado nesse momento tão especial.

Parto Normal é Obrigatoriamente Humanizado?

Infelizmente, não é bem assim que funciona, pois atualmente, em um parto normal, são despendidos inúmeros procedimentos invasivos como analgesia ou anestesia, monitoramentos dos batimentos do coração do bebê, exames vaginais, monitoramento da contração do útero, o jejum materno, a posição fixa da gestante durante o processo, o uso de medicamentos e soros para o controle das contrações, o uso de fórceps, a manipulação do bebê com a aspiração mecanizada das vias aéreas, a episiotomia, a luz e o barulho excessivos e muitos outros que podem maltratar demasiadamente a mãe e o bebê. Mesmo que alguns deles sejam importantes para a saúde dos envolvidos, muitas vezes tornam-se mecanizados e, portanto, ninguém é consultado antes de serem realizados, visto serem de rotina.

Cesárea Pode Ser Considerada Parto Humanizado?

Embora alguns médicos não a considerem humanizada por ser uma cirurgia, dá para torná-la mais humanizada: controle da luz e do barulho, ter um acompanhante na sala, reduzir a manipulação do bebê, permitir que o pai corte o cordão umbilical e entregar o bebê à mãe assim que nascer para que possa mamar.

Preparo do Parto Humanizado

Antes de mais nada, o acompanhamento do obstetra durante toda a gestação é importantíssima, pois todos os dados da saúde e da mãe estarão monitorados caso haja algum problema, mas antes disso, verifique se o seu obstetra tem conhecimentos sobre o parto humanizado. Se não encontrar um bom obstetra, procure por grupos de apoio, pois certamente haverá alguém a ser indicado. Para completar, a gestante tem que ter a vontade de passar por um parto humanizado, mesmo conhecendo seus desconfortos e emoções. Portanto, ela não deve escolher esse tipo de parto somente por ele estar na moda, mas sim, por ter motivações fortes e individuais. Então, converse com alguém que tenha tido essa experiência.

Pra Quê Um Parto Humanizado?

O parto humanizado é importante tanto para a mãe quanto para o filho. Para a mãe, não haverá o incômodo e o perigo da anestesia, de medicamentos ou da episiotomia. Por outro lado, terá mais conforto emocional por ter alguém querido junto dela e por poder amamentar o seu bebê assim que ele nascer. Seu restabelecimento acontecerá bem mais rápido e a sua percepção do parto será bem positiva. Com relação aos bebês, ainda não há tantas vantagens comprovadas em longo prazo, porém, como são utilizados menos medicamentos, entende-se que haverá menos riscos de complicações futuras. Além disso, teoricamente, ele se tornará mais calmo, tranquilo e menos tenso, visto a amamentação ter acontecido ainda na sala de parto, criando um vínculo muito mais forte com sua mãe.

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios