Anticoncepcionais

Conheça como funciona esse método contraceptivo

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Métodos Contraceptivos, Saúde

Prática e bastante eficaz, a pílula é um método contraceptivo adotado por muitas mulheres no mundo todo. Além de evitar a gravidez, a pílula pode ser usada contra acne, ovários policísticos, cólicas mais severas, além de amenizar, em muitos casos, os desconfortos da tensão pré-menstrual (TPM).

preservativo

O anticoncepcional, tomado via oral, é facilmente encontrado em farmácias, com marcas e preços variados. Se a mulher estiver interessada em adotar esse método, primeiramente deve procurar um médico, que vai indicar qual é a melhor para cada caso, porque há variação da dose hormonal, dependendo da marca.

As pílulas anticoncepcionais são compostas dos hormônios, que agem como o estrogênio e progesterona, que são produzidos pelo corpo feminino no ciclo menstrual.

Para garantir sua eficiência, a mulher deve tomar o comprimido diariamente, no mesmo horário, durante 21 dias (para cartelas de 21 pílulas, que vem com os dias marcados), ficando uma semana sem tomar o medicamento. Há embalagens com 28 pílulas, em que sete dos comprimidos são placebos (só para a mulher não fazer confusão e tomar os comprimidos sem pausa). No período em que a mulher não toma a pílula, são os dias em que ela vai menstruar.

Caso a mulher se esqueça de tomar uma ou mais pílulas terá o efeito do contraceptivo reduzido e, se tiver relações sexuais, deverá adotar algum outro método contraceptivo, como o uso de preservativo.

Muitas mulheres ficam com medo de tomar a pílula com receio dos efeitos colaterais, mas saiba que muito do que se ouve por aí é mito. A pílula não provoca acne, não engorda nem causa celulite. O que pode ocorrer é uma mudança no apetite sexual feminino, que pode aumentar porque a mulher fica mais despreocupada já que está protegida ou diminuir, por conta dos hormônios.

Mulheres podem emendar cartelas de pílulas anticoncepcionais para não menstruar. Mas antes de tomar essa atitude, converse com seu ginecologista para receber todas as orientações e para que não haja prejuízos para sua saúde.

pílula de 21 dias

Cuidado se você toma a pílula junto com outro medicamento, porque isso pode interferir na sua eficácia. O problema se dá com os medicamentos que contém barbituratos, fenitoína, carbamazepina e rifampicina. Atenção ainda com o uso de alguns antibióticos. Se você toma a pílula e algum outro medicamento, comunique sempre seu médico.

A pílula anticoncepcional é contraindicada para mulheres que apresentam doenças cardiovasculares, porque pode influenciar a coagulação.

Para quem quer engravidar

Outro receio quanto à pílula é que seu uso contínuo por um longo período pode trazer dificuldade na hora de engravidar. Isso também não é verdade, o que pode acontecer é que logo que a mulher para de tomar o anticoncepcional, seu corpo precisa se adaptar para voltar à ovulação, mas essa adaptação não demora mais que três meses.

Para aquelas que amamentam

Outra vantagem da pílula é que ela pode ser utilizada como contraceptivo para mulheres que acabaram de ter bebê e estão amamentando. Mas não é qualquer pílula e sim algumas específicas, com baixa dosagem hormonal. Somente o médico poderá receitar pílula certa, que não irá interferir na amamentação.

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios