Polidramnia

Seu médico disse que sua quantidade de líquido amniótico está acima do normal? Saiba mais sobre este problema aqui

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Doenças, Saúde

Trata-se de um distúrbio que afeta a gestação de algumas mulheres. Deve-se tomar um cuidado maior com gestantes com polidramnia para que tudo corra bem com o feto e com a mãe.

barriga avançada

O que é

Polidramnia é uma alteração relacionada à quantidade de líquido amniótico no útero da mãe. Trata-se de um volume acima do normal, em geral em torno de 2000 ml, em média na trigésima semana de gestação. Muitas vezes a Polidramnia vem associada a algumas más formações do feto que podem ser estruturais ou mesmo cromossômicas. Caso não se diagnostique no início alguma má formação, a mesma poderá advir do estado delicado que a Polidramnia traz para o feto.

O que causa

A polidramnia possui várias origens. Uma delas pode ser alguma má formação genética, como por exemplo, espinha bífida, anencefalia ou agenesia. Pode ocorrer também nos casos em que o bebê esteja produzindo em excesso o hormônio antidiurético. A presença de mais de um embrião, ou seja, irmãos gêmeos podem levar a polidramnia. Diabetes, doenças hepáticas e doenças da placenta estão entre as principais causas deste acometimento.

Como tratar

Primeiramente, deve-se escolher o melhor tratamento conforme as especificidades do diagnóstico. Dependerá das possíveis causas e de como está o bebê. A polidramnia pode ser aguda ou crônica. A primeira é rara e o acometimento começa logo no primeiro trimestre da gestação, sendo, portanto, mais grave. O segundo, mais comum, de início já no terceiro trimestre da gravidez.

Caso haja alguma má formação com o bebê e esta seja uma das causas da polidramnia, é recomendada a interrupção da gestação. Caso a saúde do bebê esteja em plenas condições, o importante é ter todo o cuidado para continuar preservando a saúde da criança. Há um método que se chama amniocentese cujo procedimento é o da retirada de um pouco do líquido amniótico em excesso fazendo com que haja uma melhora na evolução na gravidez. Há também alguns medicamentos que visam preservar as estruturas internas como as membranas dependendo do tipo de causa. Somente o médico poderá receitar o melhor tratamento para cada caso.

Como prevenir

A polidramnia proveniente de má formação fetal não será passível de prevenção, visto que não é possível prever se um feto virá ou não com alguma anomalia.
Já os quadros de polidramnia provenientes de problemas hepáticos e diabetes como visto anteriormente são passíveis de se tentar prevenir cuidando bem da saúde da mãe. A mulher deve se preparar para a gravidez, realizar todos os exames clínicos antes mesmo de engravidar para se certificar se está tudo em ordem com sua saúde. Caso se descubra algo, o ideal é tratar antes mesmo de se tentar uma gestação.

último trimestre

Diagnóstico

É dividido em duas etapas. A primeira se dá através do ultrassom. Neste exame o médico poderá avaliar se a mulher grávida está com um volume anormal de líquido amniótico ou não. A segunda parte do diagnóstico trata-se de saber a etiologia deste volume aumentado, ou seja, as possíveis causas para o problema.
Infelizmente, em cerca de 2/3 dos casos de polidramnia não se descobre a causa. Nestes casos, o diagnóstico fica restrito à primeira etapa. Geralmente nestes casos, o feto está bem de saúde, assim, tenta-se prolongar a gestação ao máximo até o momento em que é seguro para o bebê nascer.

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



4 comentários

  1. Rosa

    minha cunhada esta gravida de 8 semanas e na ultra que ela fez constatou que ela esta com exerço de liquido. ela já perdeu dois filhos, a primeira tinha má formação, e o segundo ela perdeu de 4 meses e não descobrir a causa. corre o risco desse bebe de agora nascer com má formação?

  2. emerson

    sinto muito, mas agenesia não causa polidramnia causa na verdade o quadro clínico oposto: oligodramnia.

  3. emerson

    a amniocentese NÃO é a retirada do excesso de líquido amniótico, trata-se de um exame de checagem do conteúdo desse líquido. está escrito no seu site que as informações são baseadas em pesquisas, estudos, consultas, livros. mas infelizmente ao ler esse texto fico com a impressão de que não é bem assim

  4. VANESSA DIAS

    BOA TARDE

    TERIA COMO VCS ME RESPONDEREM ESSE PERGUNTA?

    UM BEBÊ NASCEU APARENTEMENTE NORMAL, MAS A MÃE APRESENTOU EXCESSO DE LÍQUIDO ANMINIÓTICO(POLIDRÂMNIO)EM SUA GESTAÇÃO, DIAGNOSTICADO POR ULTRA SONOGRAFIA NA 36 SEMANA. APÓS NASCIMENTO, A CRIANÇA APRESENTAVA VÔMITO, ENGASGAVA COM FREQUENCIA E TINHA DIFICULDADE DE RESPIRAR. VOCÊS SABERIAM DAR UMA EXPLICAÇÃO PARA ESTA ANOMALIA?

Comente!




*Campos obrigatórios