Riscos da Gravidez Depois Dos 30

Como a quantidade de óvulos é reduzida e envelhecida, há mais riscos ao engravidar após os 30, porém, com alguns cuidados, é possível diminui-los.

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Gravidez, Problemas

Atualmente, as mulheres se preocupam com os estudos, com o emprego, com o homem ideal, com o casamento e, ufa!, finalmente, com o seu primeiro bebê. Assim, ao contrário de antigamente, quando a mulher, aos 20 anos, já era casada e mãe, hoje ela adia essa atitude ao máximo, a não ser que por acidente. Dessa forma, muitas mulheres têm ou pretendem ter filhos somente após os 30 anos, quando já terão uma vida estável para poder criá-los com mais condições financeiras e maturidade. Entretanto, nessa idade, começam a aparecer alguns riscos tanto para a mamãe quanto para o bebê. Se você se encontra nessa situação, saiba quais são os riscos da gravidez depois dos 30:

riscos-da-gravidez-depois-dos-30

Por Que Há Mais Riscos?

Ao contrário do homem, a mulher nasce com um número fixo de células que se transformarão em óvulos, ou seja, aproximadamente 2 milhões poderão gerar uma criança quando fertilizadas. Então, a cada mês, eles são liberados aos poucos a fim de serem fertilizados e, quando não isso não acontece, são descartados através da menstruação. Com isso, chega uma idade em que não existem mais células a serem fertilizadas, que geralmente é aos 45 anos, na menopausa. Portanto, aos 30 anos, esse número já começa a declinar bastante, e os óvulos existentes são mais envelhecidos, tendo mais dificuldades para gerarem uma vida.

Dessa forma, após os 35 anos, torna-se cada vez mais complicado engravidar, mesmo quando a mulher é considerada fértil. Por isso, normalmente, a gravidez acontece acidentalmente nessa faixa etária.

riscos-da-gravidez-depois-dos-30-1

E Quais Seriam Esses Riscos?

Agora, vem a pior parte do post: os riscos que as mamães e os bebês correm quando a gravidez acontece após os 30 anos: as probabilidades de se ter um filho com malformações congênitas aumentam consideravelmente, principalmente a que causa a Síndrome de Down; o mesmo ocorre com o aborto espontâneo e com algumas complicações durante a gravidez como o diabetes gestacional, o parto prematuro, o feto nado-morto (quando o feto morre nas primeiras 20 semanas de gestação), os problemas com a placenta e o aumento da pressão arterial.

Como Prevenir Esses Riscos?

Na realidade, as probabilidades de acontecerem as situações acima, mas com um pouco mais de cuidado, há como reduzi-las: faça um exame completo de saúde antes de engravidar; faça o teste de imunidade ao sarampo e à rubéola e, caso não for imune, seja vacinada e espere um mês para começar a tentar engravidar; ingira vitaminas pré-natais, especialmente o ácido fólico para ajudar a prevenir as malformações congênitas; inicie a gravidez com um peso saudável; alimente-se saudavelmente, incluindo muitos grãos integrais, verduras, legumes, frutas e oleaginosas nas suas refeições e retirando o açúcar, os produtos industrializados e o sal delas; fique longe de alimentos crus e mal cozidos e não use bebidas alcoólicas, tabaco ou drogas ilícitas.

Como Faço Para Engravidar?

Mesmo sendo mais difícil engravidar depois dos 30, esse sonho ainda é possível, mas com um pouco de paciência, a não ser que você e o seu marido sejam sortudos! Para tanto, você deve saber qual é o seu período fértil. Então, tenham 3 relações sexuais logo após que a menstruação acabar, em intervalos de 2 dias. Caso não tenha engravidado depois de 6 meses, é melhor procurar por ajuda médica.

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios