Teste do Coraçãozinho

Exame pode salvar vidas, porque detecta cardiopatias congênitas

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Bebês, Recém Nascidos

Logo após o nascimento, o recém-nascido deve passar por uma série de exames para detectar precocemente algumas doenças e assim começar o tratamento rapidamente. Ainda na maternidade, o bebezinho deve fazer o teste do pezinho, da orelhinha, do olhinho e do coraçãozinho.

coraçãozinho

O teste do coraçãozinho, chamado de oximetria de pulso não é muito conhecido. Ainda não é obrigatório em todos os estados do Brasil, como acontece com o teste do pezinho e da orelhinha. Por isso, certifique-se na maternidade se o exame será realizado porque, caso contrário, você pode procurar algum serviço que realize esse exame.

Em Brasília, tramita o projeto de lei 484/2001, que traz alterações no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e obriga a realização de vários exames de triagem neonatal, dentre eles, o teste do coraçãozinho.

Diagnóstico precoce

Esse exame salva vidas, porque permite o diagnóstico precoce de cardiopatia congênita, como buracos entre as câmaras do coração. Casos graves de cardiopatia congênita devem ser diagnosticados o mais rápido possível para que se realize alguma intervenção, como cirurgia. O teste permite reconhecer defeitos cardíacos antes mesmo dos sintomas aparecerem.

Em muitos casos, o bebê nasce aparentemente sem nenhum problema no coração, apresentando sinais, como falta de oxigênio, só alguns dias depois ou ao final do primeiro mês, o que pode levar à morte caso ele não receba atendimento rapidamente. Apesar de o pediatra auscultar o coração do bebê na maternidade, só isso não é suficiente para reconhecer alguns defeitos cardíacos.

Como é feito o exame

coração

A oximetria de pulso é um exame simples e indolor para o bebê. Além disso, é bem rápido, sendo realizado em, no máximo, cinco minutos. Qualquer pediatra está apto para fazer o teste do coraçãozinho. É feito com um equipamento chamado oxímetro e é colocado um tipo de pulseira (na mão direita e em um dos pés do recém-nascido) que verifica o nível de oxigênio no sangue do bebê: se a concentração estiver abaixo de 95% pode apontar o risco de defeito no coração.

Caso seja detectada alguma alteração, o bebê realiza outros exames mais específicos e, se necessário, deve ser encaminhado para cirurgia.

Ecocardiografia fetal

Ainda na gestação, o coração do bebê já é examinado nas ultrassonografias. O órgão começa a se formar já na oitava semana. Um momento muito emocionante para a mãe é quando ela consegue escutar os batimentos cardíacos do feto.

Por volta da 20ª semana, a gestante pode realizar a ecocardiografia fetal para checar se o coraçãozinho do feto está funcionando corretamente, podendo detectar alguns problemas congênitos. Assim, é possível começar um tratamento ainda com o feto dentro do útero.

Esse exame é importante, principalmente quando aparece algum problema no ultrassom normal, como alguma má-formação ou quando a gestação é de risco. Com a ecocardiografia fetal, o médico consegue verificar a estrutura do coração por meio de imagens coloridas.

Antes mesmo do bebê nascer, converse com o pediatra sobre o teste do coraçãozinho e tire todas as suas dúvidas sobre esse exame tão importante para a saúde do seu filho.

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios