Teste do Olhinho

Exame deve ser realizado em todos os bebês para prevenir doenças na visão

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Bebês, Recém Nascidos

Logo que o bebê nasce deve fazer uma série de exames que pode detectar doenças precocemente. São eles: teste do pezinho, do olhinho, do coraçãozinho, da orelhinha. Saiba como é realizado e qual a importância do teste do olhinho.

Todos os pais devem solicitar que o recém-nascido faça o teste do olhinho, que não é obrigatório em todos os estados. A partir de 2010, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiu que o teste seja obrigatório para todos os planos de saúde.

recém nascido

Caso o teste do olhinho não seja feito logo após o nascimento do bebê, deve ser realizado na primeira consulta. Mesmo os bebês prematuros devem realizar o teste do olhinho.

O teste, também chamado de teste de reflexo vermelho, permite diagnosticar diversas doenças na visão, como catarata, glaucoma congênito, opacidades de córnea, tumores intraoculares grandes, inflamações intraoculares ou hemorragias intravítreas.  O exame pode evitar 80% dos casos de cegueira.

Com o diagnóstico precoce, é possível iniciar o tratamento e garantir a saúde ocular da criança. Em alguns casos, é possível amenizar os sintomas de algumas doenças.

Assim como o bebê aprende a falar e a andar, ele também vai aprender a enxergar, dessa forma, a estrutura ocular da criança não pode ter problemas.

Como é feito o teste do olhinho

olhinho

O teste do olhinho é muito simples e rápido de ser realizado, sendo feito em, no máximo, cinco minutos. É indolor para o bebê, não utiliza qualquer colírio ou outro medicamento e é feito na própria maternidade.

O exame é realizado em uma sala escura com um equipamento chamado oftalmoscópio, que é como uma lanterna e emite uma luz no olho do bebê. O equipamento permite que o médico observe se há alguma obstrução no olho do recém-nascido. Caso não tenha nenhum problema, o olho reflete um brilho vermelho, como aquele em que é observado em fotografias. Esse reflexo vermelho deve ser homogêneo e precisa ser identificado em ambos os olhos. O resultado normal aponta que não há nenhuma barreira para o desenvolvimento da visão do bebê.

Caso haja alguma anormalidade, o olho do bebê não emitirá um reflexo ou emitirá um brilho esbranquiçado. Nessas situações, o recém-nascido deve passar, com urgência, por uma avaliação específica com um oftalmologista.

Doenças oculares

A catarata pode ser genética ou decorrência de infecções, como rubéola. O glaucoma congênito é caracterizado por um aumento da pressão intraocular que pode levar a um edema de córnea. Esse edema impede a entrada normal da luz para o olho. Em relação aos tumores malignos intraoculares, o mais comum em crianças é o retinoblastoma. Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica, 60% dos retinoblastomas são descobertos muito tarde, quando já não é possível salvar o olho.

Ainda na gestação, informe-se se a maternidade irá realizar o teste do olhinho no seu bebê. Caso não seja feito logo após o nascimento, informe-se com o pediatra onde ele pode ser realizado.

Se você observar em fotografias que o olho do seu filho aparece com uma mancha branca, ao invés do reflexo vermelho, procure um oftalmologista.

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



1 comentário

  1. sheila

    minha filha nao feis o teste do olhinho onder eu posso faze ela tem 3 meses

Comente!




*Campos obrigatórios