Teste do Pezinho

O exame é obrigatório e permite o diagnóstico precoce de doenças

Artigo publicado por Patrícia Ribeiro nas categorias: Bebês, Recém Nascidos

É obrigatório que todos os recém-nascidos façam o teste do pezinho ou triagem neonatal entre o terceiro e sétimo dia de vida.  O exame é realizado nas maternidades ou em postos de saúde.

O teste do pezinho é um exame simples e rápido que pode detectar doenças metabólicas, congênitas ou infecciosas, que podem causar problemas no desenvolvimento físico e mental do bebê, como deficiência intelectual ou outras sequelas irreversíveis.

teste do pezinho

O diagnóstico precoce permite que o tratamento seja realizado mesmo antes de alguma doença se manifestar.  Em alguns casos, o tratamento acontece com alimentação especial e outros necessitam de cuidados específicos.

O exame é realizado com a coleta de sangue do calcanhar do bebê. As gotas de sangue são coletadas em um papel filtro e levadas para análise. Antes de levar o recém-nascido para fazer o teste do pezinho, a mãe deve amamentá-lo.

Tipos de testes

Existem três tipos de testes:

  • Básico: gratuito e faz o diagnóstico para quatro doenças – Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Fibrose Cística, Anemia Falciforme (e demais Hemoglobinopatias);
  • Mais: diagnóstico para as quatro doenças acima, além de Glicose 6-fosfato desidrogenase, Galactosemia, Leucinose, Deficiência de Biotinidase, Hiperplasia Adrenal Congênita e Toxoplasmose Congênita;
  • Super: que investiga 48 doenças.

pezinho

Doenças

Conheça algumas doenças diagnosticadas no teste do pezinho (Básico e Mais):

Anemia falciforme: causa modificação na formação da hemoglobina, molécula que transporta o oxigênio no sangue. A doença genética dificulta a circulação, ocasiona lesões aos tecidos e órgãos. Não tem cura, mas o tratamento diminui os efeitos dos sintomas.

Deficiência de biotionidase: é a falta da vitamina biotina, que causam convulsões, baixa imunidade, fraqueza, queda de cabelo, acidez no sangue, dentre outros problemas.

Fenilcetonúria: é a deficiência no metabolismo da fenilalanina, que caso se acumule no organismo pode causar retardo mental. Mesmo não tendo cura, pode ser controlada com dieta específica.

Fibrose Cística: causa lesões nos pulmões (com acúmulo de muco) e pâncreas, podendo provocar desnutrição e morte.  Apesar de não ter cura, pode ter os sintomas minimizados.

Galactosemia : doença genética que dificulta o processamento de galactose (açúcar do leite) em glicose. O acúmulo de galactose causa problemas de coagulação, icterícia (pele amarelada), hipoglicemia (baixa da taxa de glicose no sangue), glicosúria (excesso de glicose na urina), acidez do sangue e até catarata.

Glicose 6-fosfato desidrogenase: doença metabólica que causa modificações das hemácias, o que pode ocasionar anemia hemolítica e icterícia.

Hipotireoidismo congênito: caracterizado pela insuficiência do hormônio da tireoide, que age no sistema nervoso. Pode afetar o desenvolvimento da criança e causar retardo mental. O tratamento é realizado com hormônio.

Hiperplasia congênita da suprarrenal: é a deficiência na produção de hormônios pelas glândulas suprarrenais. Pode ocasionar a masculinização no corpo, vômitos e desidratação.

Leucinose: o organismo não consegue processar alguns aminoácidos e o acúmulo dessas substâncias pode causar problemas nas funções cerebrais.

Toxoplasmose: doença infecciosa, que pode causar malformações, doenças na retina, doenças sistêmicas graves e calcificações cerebrais.

Se você estiver em dúvida sobre qual tipo de exame do pezinho deve fazer, converse com o pediatra, que lhe dará todas as orientações.

O resultado do teste do pezinho demora cerca de um mês para ficar pronto, não esqueça de buscá-lo para mostrar ao pediatra.

Patrícia Ribeiro

Autora

Patrícia Ribeiro é mamãe 24h por dia de dois filhos maravilhosos e dedica seu raro tempo livre à compartilhar suas descobertas com outras mamães.



Comente!




*Campos obrigatórios